como ser excepcional e não cair nessa armadilha de pensar

Já estamos em Março e, provavelmente, muitos de nós esquecemos as resoluções para 2017, caindo numa armadilha do pensamento. Pode ser uma coisa bem familiar, por exemplo: você quer perder peso e ficar em forma, então você começa a fazer exercícios. Você se dedica, todos os dias, a uma rotina saudável.

Um dia, você fica doente ou simplesmente tem muito trabalho acumulado. Então, você deixa de fazer exercícios naquele dia. Depois, você pula outro dia e mais um e, em seguida, “puf”, já não existem exercícios na sua agenda. Por quê? Porque caímos na armadilha de pensar que é tudo ou nada!

O maior erro é não fazer algo, apenas porque só pode fazer um pouco…

Imagine um dia em que você tem muitas atividades pessoais e profissionais. Neste dia, você sabe que não poderá praticar ioga durante 50 minutos ou pedalar 45 minutos. Mas, o que impede você de fazer uma corridinha leve durante 15 minutos? Dessa forma, paramos nós mesmos.

Caímos na armadilha de pensar que, se não podemos fazer algo completamente, não podemos fazer nada. É uma armadilha perfeccionista: se faz o que deve ser feito perfeitamente ou nada pode ser feito.

Aquelas promessa duras e irreais que frequentemente quebramos

Muitas vezes não alcançamos nossos objetivos e metas, porque nós insistimos em fazer promessas de “tudo ou nada” para nós mesmos. Como quando você bebe demais em uma festa, acorda com a maior de todas as ressacas, e jura que você nunca mais tocará numa gota de bebida enquanto estiver vivo.

Quanto tempo isso dura? Um dia ou dois, ou talvez até o próximo fim de semana. Você bebe novamente, e está de volta a criticar você mesmo e sua pouca força de vontade.

O problema não está na sua força de vontade para começar, mas sim em fazer promessas de 8 ou 80 a si mesmo e ser vítima desta armadilha de pensamento. Em vez de dizer duramente a si mesmo para proibir as bebidas, você pode fazer uma promessa a si mesmo, que você irá demorar ao menos 30 minutos com cada bebida e que você não vai deixar mais de três bebidas passar pela sua garganta. Esse é um tipo de promessa que você pode cumprir, com certeza.

Abra seu coração para algumas áreas cinzas

A armadilha do pensamento preto e branco é muito limitante. Faz você pensar em si mesmo apenas como alguém bem sucedido ou perdedor, você vale alguma coisa, ou é inútil. O problema que surge disso tem a ver com a auto-estima. Se você estiver se sentindo bem, pode pensar muito de si mesmo e ter um ego gigantesco para combinar. E se você estiver “numa pior”, sua autoestima acaba levando uma surra.

Com um tipo de pensamento como este, você tende a tornar-se crítico também – rotulando seus amigos, familiares e colegas com as mesmas definições “boas” ou “más”.

Portanto, pensar dessa maneiro pode te tornar uma pessoa ansiosa , um pouco deprimida e com baixa auto-estima. Uma boa maneira de lidar com isso é expandir seus pensamentos, abrir sua mente e coração. Você não pode ser apenas bom ou ruim. Todos são uma mistura de coisas boas e ruins, e a maioria de nós deveria objetivar ser mais “bom” e menos “ruim”.

Saia da armadilha do pensamento preto e branco

O pensamento “preto e branco” nos prejudica e faz com que olhemos tudo de forma desconfiada, é uma armadilha do pensamento. Ele literalmente fecha portas que abrimos em nossas vidas e arruina as relações pessoais e profissionais. Isso acontece quando por estarmos muito ocupados medindo e rotulando as pessoas para perceber seu valor.

Esta é também uma das principais razões que desistimos de algo. Nós nos tornamos viciados na necessidade de um resultado perfeito, esquecendo que a vida muitas vezes está na jornada, não apenas no objetivo. Tudo o que precisamos lembrar é que a vida é negociável, sempre permite o recomeçarmos!

O que achou do artigo? Conte nos comentários!


Alexandre Lima

Psicólogo em formação na Univesidade Federal de Goiás. Gosto de assuntos relacionados a Desenvolvimento Pessoal e Saúde Mental. Blogueiro nas horas vagas (quando há!).

All author posts